08 outubro 2007

Canto do Camponês


É bom
o suor que desce
pela testa
inunda as sobrancelhas
desliza gota a gota
até aos cantos da boca
conflui no queixo
e cai na terra que conquistámos

É refrescante
o suor que desce
pela nuca
engrossa no pescoço
escorre pelo dorso
e rega o chão que é nosso


Do Livro "Memória Inconsumível " de Guilherme Afonso - Capítulo "Utopias "
Foto_José Luis Mendes

2 comentários:

Bipede Implume disse...

A sempre bela paisagem alentejana.
Boa semana.

Bichodeconta disse...

Agora fiquei assim... esta foto bateu num lugar recondito dentro de mim.. foi ás entranhas lá vai ficar gravada..Parabéns e um abraço, ell