27 setembro 2006

A Opera Mágica do Cantor Maldito


Num Sonho de Águas Claras
...
ir ao encontro outra vez
do perfume dos limões
olhar a sombra destes prados
em carmesim de cerejas
pela frescura das laranjas
pelo sabor das tangerinas
saborear teus lábios rubros
em leves tons de framboesas
depois
descobrir
depois
um astro em pomar de cores
sombreado pelas plantas
cheio de gente feliz
feliz tanto quanto eu sou
p´lo aroma da flor dos ramos
e pela serena presença
daquela mulher que eu amo

Poema_Fausto Bordalo Dias

7 comentários:

magnolia disse...

Bonito! As palavras são leves e cristalinas como a água clara desse sonho, que transporta a nossa mente e nos faz sentir uma paz interior... ainda que por breves momentos. Melhor ainda, quando nos indentificamos com aquilo que escrevemos.
Gosto do Fausto. Parece que anda esquecido, como tantos outros!

Ludovicus Rex disse...

Simplesmente delicioso...
Acalma-nos o ser.
Um abraço

Bipede Implume disse...

Que bom encontrar o talento De Fausto aqui. Bela companhia para este dia cinzento de Outono.

maat disse...

sim...a Poesia também pode ser esta fragância e alegria com a Natureza...evocações afectivas de algo que perdura na memória dos sons das nossas Vidas.

***

ainda bem que passar por lá, no " arder do azul" faz bem ...isso comove-me.


Abraço,

***maat

Ludovicus Rex disse...

Vamos Actuar Já...
Chegou a hora da Liberdade, Vamos fazer a Revolução!

a.castro disse...

Francamente, a poesia não é o meu "forte". Mas gosto de ler e sei distinguir o que é boa poesia. É este o caso, e só podia ser: Fausto!

Mendes Ferreira disse...

contente. feliz. de ter descoberto um blog assim. bem feito. iluminado fresco. optimista.
demonstrativo...



obrigada.


bom dia.