10 outubro 2006

A Esplêndida Cidade


Um pobre e esplêndido poeta, o mais atroz dos desesperados, escreveu esta profecia: “Ao amanhecer, armados de uma ardente paciência, entraremos nas esplêndidas cidades.” Eu creio nessa profecia de Rimbaud... Sempre tive confiança no homem. Não perdi jamais a esperança. Por isso talvez tenha chegado até aqui com a minha poesia, e também com a minha bandeira. Em conclusão, devo dizer aos homens de boa vontade, aos trabalhadores, aos poetas, que todo o porvir foi expresso nessa frase de Rimbaud: só com uma ardente paciência conquistaremos a esplêndida cidade que dará luz, justiça e dignidade a todos os homens.
Assim a poesia não terá cantado em vão.

Pablo Neruda
Ilustração_ Dafni A Tzitzivakos

2 comentários:

Ludovicus Rex disse...

Sempre meu amigo, luz, justiça e dignidade a todos os povos.
“Ao amanhecer, armados de uma ardente paciência, entraremos nas esplêndidas cidades”
Um abraço e Bom Fim de Semana

maat disse...

iluminar o Mundo, eis o que sempre os poetas fazem,"armados de uma ardente paciência".


Abraço,
bom fim de noite,


***maat