09 abril 2007

Adriano Correia de Oliveira


Tejo que levas as águas
correndo de par em par
lava a cidade de mágoas
leva as mágoas para o mar

Leva nas águas as grades
de aço e silêncio forjadas
deixa soltar-se a verdade
das bocas amordaçadas

09 de Abril 1942 – 16 de Outubro 1982

5 comentários:

a.castro disse...

Adriano foi único, músico e um dos mais importantes intérpretes do fado de Coimbra. Fez parte da geração de compositores e cantores de cariz político que foram usadas para lutar com o Estado Novo e que ficou conhecida como "música de intervenção". Uma grande perda, apenas com 40 anos de idade.
Abraço.

Ludovicus Rex disse...

Merecida Homenagem. Pela Liberdade...

Anónimo disse...

mt mt mt merecido.


___________________


bom dia.




(Piano)

XRéis disse...

Boa Homenagem.
Foi pena não ter vivido mais tempo.

Maria Faia disse...

Felicito-o pela justa homenagem ao Grande Adriano.
Como apaixonada do Fado de Coimbra, desde os meus tempos de faculdade, sensibilizou-me...

Nota: Obrigado pela visita ao Querubim Peregrino. Trouxe-me também a este apeadeiro que ainda estou a visitar.

Cordialmente,
Maria Faia